Oscar 2015: considerações, apostas e favoritos

Birdman Oscar

Existe certa preocupação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas para a cerimônia do Oscar, que acontece neste domingo (22). Os oito melhores filmes do ano, eleitos pelos votantes, se destacaram em festivais independentes e não temos uma superprodução, financeiramente falando. Não é um mal, pelo contrário. Mas esse fato pode prejudicar a audiência da apresentação, por isso os produtores planejam grandes atrações para manter o público conectado.

Muitos consideraram um ano fraco e concordo em partes. Muita coisa boa ficou de fora da cerimônia desse ano e outras foram valorizadas até demais. As ausências de filmes como “Força Maior”, “Era Uma Vez em Nova York”, “Sob a Pele” e “Festa no Céu” e a pouca valorização de “Garota Exemplar” e “O Abutre” fizeram da premiação um jogo de cartas marcadas. Mais do que nunca.

Está claro que a disputa principal será entre “Birdman”, “Boyhood – Da Infância à Juventude” e “O Grande Hotel Budapeste”, destaques nos prêmios dos Sindicatos de Hollywood e do Globo de Ouro. Mesmo assim, vale lembrar que os votantes da Academia são profissionais da indústria, suscetíveis ao lobby e ao favorecimento de interesses pessoais e amigáveis, o que pode render algumas surpresas.

Como qualquer votação, devemos entender que jamais ficaremos totalmente satisfeitos com ela, já que, felizmente, cada um enxerga a arte e se influencia por ela de uma forma diferente. Por maior que seja a importância de uma estatueta, vale lembrar que o que a obra cinematográfica deixa para a indústria e para o público é mais valioso.

Considerações finais sobre os principais filmes:

Boyhood Oscar1– Birdman, de Alejandro González Iñarritu: quando se analisa dramaturgia, este é o filme mais completo da lista. Não apenas pelo tão falado falso plano sequência que permeia a obra, mas por contar uma história original que mergulha na cultura pop, ironiza o próprio protagonista e ascende o diretor a um novo nível em sua carreira.

– Boyhood, de Richard Linklater: é compreensível que o drama não tenha agradado a todos por sua simplicidade temática. Mas a ideia era essa mesmo. Contar a história de uma família comum usando o tempo como motivador narrativo. O diretor elabora um épico familiar que é impossível ser menosprezado. É uma grande viagem da vida pelo cinema ou do cinema pela vida.

– O Grande Hotel Budapeste, de Wes Anderson: maior sucesso de bilheteria do diretor até o momento. Anderson ffaz de suas obras reconhecíveis em qualquer lugar do mundo, sempre com sua estética peculiar e a forma fantástica de contar suas histórias. O flerte com a comédia foi essencial para conquistar o público e a Academia.

– Selma, de Ava DuVernay: é o filme importante do ano, que lança o olhar em um passado não tão distante. Revela que os preconceitos, raciais ou não, continuam sem se justificar dentro de uma sociedade que busca a liberdade. A diretora e o protagonista colaboram para o poder da obra, que se livrou de ser piegas e conquista pela emoção.

– O Jogo da Imitação, de Morten Tyldum: quando fala sobre o plano secreto dos americanos contra os alemães, a cinebiografia estoura! Mas deixa a desejar ao mesclar com a vida pessoal de Alan Turing. Ainda assim, um filme correto em sua concepção, sendo impossível também tirar os olhos de Benedict Cumberbatch. Peca aqui e ali em ritmo, mas rende uma curiosa experiência.

A Teoria de Tudo, de James Marsh: por mais certinha que seja, a cinebiografia respeita a vida pessoal de uma das maiores mentes do mundo. Pode até soar brega, principalmente com a trilha sonora nauseante, mas é bom ver filmes mais humanos, que saibam oferecer os conflitos sem exageros. Não é apenas a história de um gênio, é sobre um gênio. E isso inclui bastante do que ele foi como homem, não apenas como profissional.

Whiplash, de Damien Chazelle: não importa o quão bem orquestrado seja o terceiro ato do longa, até chegar lá ele não consegue esconder suas pernas bambas. O exagero das repetições não faz a trama crescer gradativamente. As qualidades de um filme não devem ser guardadas apenas para o final. Acabou entrando no filão pela atuação afetada de J.K. Simmons.

Sniper Americano, de Clint Eastwood: por mais incomparável que seja a carreira do cineasta, neste longa não há um elemento que o diferencie de seus semelhantes. Há o patriotismo questionável e a vontade de fazer um filme barulhento, forçadamente formatado para chamar a atenção dos jurados com sua teórica carga de importância. O filme mais fraco (e desatualizado) da lista.

Considerações finais sobre os filmes secundários:

O Abutre Oscar– Garota Exemplar, de David Fincher: foi um dos primeiros grandes filmes do ano, junto com “O Grande Hotel Budapeste”. Trouxe também a atuação assustadora de Rosamund Pike, único reconhecimento da Academia. Amarga o esquecimento prematuro, imperdoável por ser um dos melhores trabalhos de Fincher.

– O Abutre, de Dan Gilroy: drama de tirar o fôlego ficou preso em Roteiro Original, esquecendo o detestável personagem interpretado por Jake Gyllenhaal, que vive uma ótima fase na carreira. Como obra, experimenta muito mais as possibilidades do cinema do que alguns indicados na categoria principal.

– Foxcatcher, de Bennett Miller: filme sobre transformação física de Steve Carell e artística de Channing Tatum, peca no ritmo ao contar uma história sóbria demais. As entrelinhas chegam a funcionar, mas falta envolvimento. Falta se importar com o que está em tela. Parece que Miller parou em “Capote”, o que é uma pena.

Caminhos da Floresta, de Rob Marshall: uma das grandes decepções do ano, o musical conta com um elenco afiado, mas sofre com um ritmo enfadonho e uma trama que quanto mais tenta se amarrar, mais se dispersa. Vale citar que a presença da figurinista Colleen Atwood entre os indicados é sempre importante, até porque o trabalho dela e de Dennis Gassner no design de produção salvam o longa.

– Ida, de Pawel Pawlikowski: a direção de fotografia do longa polonês é um deleite que arrepia a cada plano. A capacidade de contar uma história familiar a partir de um tom político, sem perder o frescor dos dramas contemporâneos, faz deste uma excelente experiência, merecidamente reconhecida pela Academia entre os estrangeiros.

– Força Maior, de Ruben Ostlund: longa sueco não conseguiu se classificar para a lista final dos estrangeiros, sendo uma derrapada inaceitável. Também bebe da tragicomédia para contar uma história familiar em um exótico cenário, perfeitamente bem realizado pelo diretor.

Apostas e favoritos por categoria:

GHB_9907 20130130.CR2

Melhor Filme
Sniper Americano
Birdman
Boyhood – Da Infância à Juventude
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Selma
A Teoria de Tudo
Whiplash: Em Busca da Perfeição

Minha aposta: Birdman
Meu favorito: Birdman

Melhor Direção
Alejandro González Iñarritu (Birdman)
Richard Linklater (Boyhood – Da Infância à Juventude)
Bennett Miller (Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo)
Wes Anderson (O Grande Hotel Budapeste)
Morten Tyldum (O Jogo da Imitação)

Minha aposta: Richard Linklater (Boyhood – Da Infância à Juventude)
Meu favorito: Richard Linklater (Boyhood – Da Infância à Juventude)

Melhor Ator
Steve Carell (Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo)
Bradley Cooper (Sniper Americano)
Benedict Cumberbatch (O Jogo da Imitação)
Michael Keaton (Birdman)
Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

Minha aposta: Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)
Meu favorito: Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo)

Melhor Atriz
Marion Cotillard (Dois Dias, Uma Noite)
Felicity Jones (A Teoria de Tudo)
Julianne Moore (Para Sempre Alice)
Rosamund Pike (Garota Exemplar)
Reese Witherspoon (Livre)

Minha aposta: Julianne Moore (Para Sempre Alice)
Meu favorito: Rosamund Pike (Garota Exemplar)

Melhor Ator Coadjuvante
Robert Duvall (O Juiz)
Ethan Hawke (Boyhood – Da Infância à Juventude)
Edward Norton (Birdman)
Mark Ruffalo (Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo)
J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)

Minha aposta: J.K. Simmons (Whiplash: Em Busca da Perfeição)
Meu favorito: Edward Norton (Birdman)

Melhor Atriz Coadjuvante
Patricia Arquette (Boyhood – Da Infância à Juventude)
Laura Dern (Livre)
Keira Knightley (O Jogo da Imitação)
Emma Stone (Birdman)
Meryl Streep (Caminhos da Floresta)

Minha aposta: Patricia Arquette (Boyhood – Da Infância à Juventude)
Meu favorito: Laura Dern (Livre) – o pouco tempo em cena me tocou muito mais do que os 12 anos de Patricia Arquette.

Melhor Roteiro Original
Birdman
Boyhood – Da Infância à Juventude
Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo
O Grande Hotel Budapeste
O Abutre

Minha aposta: O Grande Hotel Budapeste
Meu favorito: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Roteiro Adaptado
Sniper Americano
O Jogo da Imitação
Vício Inerente
A Teoria de Tudo
Whiplash: Em Busca da Perfeição

Minha aposta: A Teoria de Tudo
Meu favorito: O Jogo da Imitação

Melhor Fotografia
Birdman
O Grande Hotel Budapeste
Ida
Sr. Turner
Invencível

Minha aposta: Birdman
Meu favorito: Ida

Melhor Montagem
Sniper Americano
Boyhood – Da Infância à Juventude
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Whiplash: Em Busca da Perfeição

Minha aposta: O Grande Hotel Budapeste
Meu favorito: Boyhood – Da Infância à Juventude

Melhor Design de Produção
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Interestelar
Caminhos da Floresta
Sr. Turner

Minha aposta: O Grande Hotel Budapeste
Meu favorito: O Grande Hotel Budapeste

Melhores Efeitos Visuais
Capitão América: O Soldado Invernal
Planeta dos Macacos: O Confronto
Guardiões da Galáxia
Interestelar
X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

Minha aposta: Interestelar
Meu favorito: Interestelar

Melhor Figurino
O Grande Hotel Budapeste
Vício Inerente
Caminhos da Floresta
Malévola
Sr. Turner

Minha aposta: Caminhos da Floresta
Meu favorito: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Maquiagem e Penteado
Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo
O Grande Hotel Budapeste
Guardiões da Galáxia

Minha aposta: Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo
Meu favorito: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Canção Original
Everything is Awesome (Uma Aventura LEGO)
Glory (Selma)
Greatful (Beyond the Lights)
I’m Not Gonna Miss You (Glenn Campbell… I’ll Be Me)
Lost Stars (Mesmo Se Nada Der Certo)

Minha aposta: Glory (Selma)
Meu favorito: Lost Stars (Mesmo Se Nada Der Certo)

Melhor Trilha Sonora Original
O Grande Hotel Budapeste
O Jogo da Imitação
Interestelar
Sr. Turner
A Teoria de Tudo

Minha aposta: A Teoria de Tudo
Meu favorito: O Grande Hotel Budapeste

Melhor Mixagem de Som
Sniper Americano
Birdman
Interestelar
Invencível
Whiplash: Em Busca da Perfeição

Minha aposta: Whiplash: Em Busca da Perfeição
Meu favorito: Birdman

Melhor Edição de Som
Sniper Americano
Birdman
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos
Interestelar
Invencível

Minha aposta: Sniper Americano
Meu favorito: Birdman

Melhor Filme em Língua Estrangeira
Ida (Polônia)
Leviatã (Rússia)
Tangerines (Estônia)
Timbuktu (Mauritânia)
Relatos Selvagens (Argentina)

Minha aposta: Leviatã (Rússia)
Meu favorito: Ida (Polônia)

Melhor Animação
Operação Big Hero
Os Boxtrolls
Como Treinar o Seu Dragão 2
Song of the Sea
O Conto da Princesa Kaguya

Minha aposta: Como Treinar o Seu Dragão 2
Meu favorito: Como Treinar o Seu Dragão 2

Evitei opinar sobre Documentário e Curtas-metragens por ainda desconhecer os concorrentes.

%d bloggers like this: