SP recebe vencedores da Mostra Tiradentes até domingo (22)

Estátua Tiradentes

Pelo terceiro ano consecutivo, o público de São Paulo pode assistir até o dia 22 de março um panorama do cinema brasileiro contemporâneo. Estarão em exibição na Mostra Tiradentes|SP todos os filmes vencedores da edição mineira de 2015, obras de diretores brasileiros em destaque na cena contemporânea bem como uma programação dedicada aos curtas-metragens paulistas.

A Mostra Tiradentes terá 16 sessões de cinema Sesc Consolação (Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila  Buarque) além de duas oficinas e três debates temáticos, integrando a programação do Circuito CineSesc.  A edição paulista retoma o tema eleito para a 18ª edição em Minas, “Qual o lugar do cinema hoje?” e amplia o debate com novas vozes.  A temática que permeia a programação discute o trânsito entre telas, os diálogos entre as artes e o espaço da política no cinema. Este último debate será realizado após a exibição do documentário “Retratos de Identificação” (RJ), de Anita Leandro, que integrou em Tiradentes a Sessão Cine-Debate, uma das novidades desta edição.

Eleito pelo júri da crítica melhor filme da Mostra Aurora, “Mais do que Eu Possa me Reconhecer” (RJ), de Allan Ribeiro, abriu o evento ontem (17). Os outros seis filmes desta sessão competitiva – criada para diretores em seus primeiros longas e que se transformou numa vitrine da produção autoral – serão exibidos ao longo da programação: “A Casa de Cecília” (RJ), de Clarissa Appelt; “Medo do Escuro” (CE), de Ivo Lopes Araújo; “O Signo das Tetas” (MA), de Frederico Machado; “Ressurgentes: Um Filme de Ação Direta” (DF), de Dácia Ibiapina; “Teobaldo Morto, Romeu Exilado” (ES), de Rodrigo de Oliveira; e “O Animal Sonhado” (CE), do coletivo formado por Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima e Victor Costa Lopes.

Outros premiados em Tiradentes terão exibição em São Paulo são os ganhadores de júri popular: o longa “O Dia do Galo” (MG), de Cris Azzi e Luiz Felipe Fernandes; e o curta “De Castigo” (SP), de Helena Ungaretti e o ganhador da Mostra Transições, melhor longa eleito pelo Júri Jovem “O Tempo Não Existe no Lugar em que Estamos” (MG), de Dellani Lima.

Outros longas também são destaque da programação e ainda inéditos em São Paulo terão suas sessões em pré-estreias nacionais: “Dois Casamentos” (RJ), de Luiz Rosemberg Filho  e “A Revolução do Ano” (SP),  de Diogo Faggiano.

Todos os curtas da Mostra competitiva Foco de 2015, ao todo, 12 títulos, terão exibição no Sesc Consolação. O público poderá conferir o melhor curta da Mostra Foco eleito pelo Júri da Crítica, “Estátua!” (foto), produção de São Paulo, tem direção da baiana Gabriela Amaral Almeida, o curta que ganhou o Prêmio Aquisição do Canal Brasil “Outubro Acabou” (RJ), de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes e o curta eleito pelo júri popular “De Castigo” (SP), de Helena Ungaretti.

Os curtas paulistanos ganham uma sessão especial, a Mostra Cena Paulista, com temáticas e estéticas bastante variadas, filmes bem humorados e mais sérios, entre os quais estão comédia, filme de suspense, documentário, filme político representando a diversidade de proposta cinematográfica no curta-metragem produzido em São Paulo.

%d bloggers like this: