Olhar de Cinema acontece de 10 a 18 de junho em Curitiba

STILL_PEROLA_02_300dpi

De 10 a 18 de junho, a capital paranaense recebe a quinta edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, que exibirá uma extensa e especial programação de filmes brasileiros e internacionais, curtas e longas metragens, inéditos e clássicos restaurados, além de importantes discussões e mesas de debates relacionados ao tema Cinema. Serão nada menos que 91 filmes representando 32 países.

A sessão de abertura, marcada para as 20h30 desta quarta-feira, 10 de junho, exibirá “Rabo de Peixe”, documentário português inédito no Brasil dirigido por Joaquim Pinto e Nuno Leonel, a mesma dupla do premiado  “E Agora?  Lembra-me?”, aplaudido no ano passado em vários festivais mundiais.

Mais detalhes no site oficial.

Conheça os filmes da programação:

Filme de Abertura

RABO DE PEIXE (Estreia na América do Sul)
/ Fish Tail
Joaquim Pinto, Nuno Leonel
Portugal | 103′

Joaquim Pinto, diretor do documentário “E Agora, Lembra-me”, aclamado em todos os festivais por onde passou (inclusive no Brasil), retorna ao Olhar de Cinema, agora em parceria com o premiado cineasta Nuno Leonel, para abrir o Festival de Curitiba. Em “Rabo de Peixe”, Pinto e Leonel voltam suas lentes para o cotidiano dos pescadores na Ilha dos Açores, de onde extraem imagens repletas de poesia, força e sensibilidade.

Mostra Competitiva – Longas

A MISTERIOSA MORTE DE PÉROLA (foto)
/ The mysterious death of Pérola
Guto Parente
Brasil/França | 62′

O novo e aguardado trabalho de Guto Parente (do premiado “Doce Amianto”), desta vez enfocando o angustiante universo de Pérola (Ticiana Auguto Lima), a passagem do tempo, e os tênues limites que separam fantasia e realidade.

A PROLETARIAN WINTER’S TALE (Estreia na América do Sul)
/ Ein proletarisches wintermärchen
Julian Radlmaier
Alemanha | 63′

Longa metragem de estreia do diretor alemão Julian Radlmaier sobre três homens encarregados de fazer uma minuciosa faxina num luxuoso castelo em Berlim, repleto de preciosas obras de arte. Comédia sarcástica com toques surrealistas selecionada para o Festival de Rotterdam. .

ANGELS OF REVOLUTION (Estreia na América do Sul)
/ Angely revolucii
Aleksey Fedorchenko
Russia | 113’

Sexto longa do premiado cineasta russo Aleksey Fedorchenko, conhecido no Brasil por “Almas Silenciosas”. Nas congelantes e longínquas estepes do norte da União Soviética, dois grupos de nativos não estão nada dispostos a aderir ao novo regime implantado pela Revolução, e preparam uma bizarra, heroica e improvável resistência. Com muita ironia e imagens desconcertantes, o filme foi indicado ao prêmio de melhor roteiro no Asia Pacif Screen Awards.
I AM THE PEOPLE (Estreia na América do Sul)
/ Je suis le peuple
Anna Roussillon
França | 111′

Longa de estreia de Anna Roussillon, nascida em Beirute, criada no Cairo e radicada em Paris. O filme investiga a desilusão dos camponeses egípcios com a situação econômica e política de seu país, após as revoltas populares de 2011. Prêmios de Melhor Documentário nos festivais de Hong Kong e Jihlava (República Checa).

KOZA (Estreia na América do Sul)
Ivan Ostrochovský
Eslováquia/República Checa | 75’

Na eterna briga pela sobrevivência, o decadente ex-boxeador olímpico Peter “Koza” Baláz aceita fazer uma última viagem de apresentações e lutas. Uma turnê onde a vitória consiste em simplesmente seguir vivendo. Indicado ao prêmio de diretor estreante no Festival de Berlim.

LUCIFER (Estreia na América do Sul)
Gust Van Den Berghe
México/Bélgica | 110′

Um homem com poderes de cura chega a um pequeno vilarejo no interior do México dizendo ser um anjo. Vencedor do Grande Prêmio no Tallinn Black Nights Festival (Estônia).

MERCURIALES (Estreia no Brasil)
Virgil Vernier
France | 108’

O cotidiano do universo vazio de Joane e Lisa, duas jovens que vivem nos subúrbios parisienses à procura de empregos – e vidas – melhores. Segundo longa de ficção de Virgil Vernier, o mesmo de ”Orléans”.

REALITY (Estreia na América do Sul)
/ Réalité
Quentin Dupieux
França | 87′

Para que o projeto de seu filme seja aprovado pelos produtores, um cineasta (Alain Chabat) tem 48 horas para gravar o mais doloroso gemido de dor que conseguir. “Reality” é o mais recente trabalho de Quentin Dupieux, conhecido no Brasil por “Wrong”. Premiado nos festivais de Ghent (Bélgica) e Sitges (Espanha), o filme foi selecionado para a Mostra Horizontes de Veneza.

STORY OF JUDAS (Estreia na América)
/ Histoire de Judas
Rabah Ameur-Zaïmeche
França | 99′

Uma outra perspectiva para o milenar e universal episódio da morte de Cristo: o ponto de vista de Judas. Este quinto longa do argelino Rabah Ameur-Zaïmeche venceu o Prêmio Ecumênico no Festival de Berlim. .

VIOLENCIA (Estreia na América do Sul)
Jorge Forero
México/Colômbia | 74’

A banalização da violência na Colômbia através dos pontos de vista de três personagens: um prisioneiro, um jovem sonhador e um militante de um grupo armado. Longa de estreia de Jorge Forero.

Mostra Competitiva – Curtas

A CASA SEM SEPARAÇÃO (Estreia Mundial)
/ The undivided home
Nathália Tereza
Brasil | 26’

A FESTA E OS CÃES
/ The party and the barking
Leonardo Mouramateus
Brasil | 25’

BAYBERRIES HAVE RIPENED (Estreia no Brasil)
/ Kafal pakyo
Niranjan Raj Bhetwal
Nepal | 17’

ENQUANTO O SANGUE COLORIA A NOITE, EU OLHAVA AS ESTRELAS (Estreia Mundial)
/ When darkness mantles the stars
Felipe Poroger
Brasil | 16’

GERONIMO (Estreia na América do Sul)
Frédéric Bayer
França | 18’

LISTEN (Estreia no Brasil)
Hamy Ramezan, Rungano Nyoni
Dinamarca | 13’

ESPAÇO PROTEGIDO (Estreia na América do Sul)
/ Safe space / Geschützter raum
Zora Rux
Alemanha | 13’

SUPERMAN IS NOT JEWISH (BUT I AM BIT…) (Estreia no Brasil)
/ Superman n’est pas Juif (…et moi un peu)
Jimmy Bemon
França | 30’

WITH JOY AND MERRINESS (Estreia na América do Sul)
/ Dans la joie et la bonne humeur
Boukraa
Bélgica | 6’

Outros Olhares

A LOUCURA ENTRE NÓS (Estreia Mundial)
/ The madness among us
Fernanda Vareille
Brasil | 75’

CLOUDY TIMES (Estreia no Brasil)
/ El tiempo nublado
Arami Ullon
Paraguai/Suiça | 92′

ELA VOLTA NA QUINTA
/ She will be back on Thursday
André Novais Oliveira
Brasil | 115’

FAVULA (Estreia no Brasil)
Raúl Perrone
Espanha | 80′

HOMELAND (IRAQ YEAR ZERO) (Estreia na América do Sul)
Abbas Fahdel
Iraque/França | 334′

HOMEM-CARRO (Estreia no Brasil)
/ Old man’s cars
Raquel Valadares
Brasil | 73′

MAIS DO QUE EU POSSA ME RECONHECER
/ Beyond my reflection
Allan Ribeiro
Brasil | 72′

MALDADE (Estreia na América do Sul)
/ Evilness / La maldad
Joshua Gil Delgado
México | 74′

PORTAIT OF THE ARTIST (Estreia na América do Sul)
/ Les do rouge
Antoine Barraud
França | 127’

PRISON SYSTEM 4614 (Estreia no Brasil)
/ Haftanlage 4614
Jan Soldat
Alemanha | 60′

SETE VISITAS
/ Seven Visits
Douglas Duarte
Brasil | 73’

SNAKESKIN (Estreia na América do Sul)
Daniel Hui
Singapura/Portugal | 105′

THE VALLEY (Estreia na América do Sul)
/ Al-wadi
Ghassan Salhab
Líbano/França/Catar/Emirados Árabes Unidos/Alemanha | 134’

THESE ARE RULES (Estreia no Brasil)
/ Takva su pravila
Ognjen Sviličić
Croácia | 77’

Outros Olhares – Curtas

A INVENÇÃO DA NOITE (Estreia na América do Sul)
/ The invention of the night
Tomás von der Osten
Brasil | 16’

BEAR (Estreia na América do Sul)
/ Bär
Pascal Flörks
Alemanha | 8’

CAT (Estreia no Brasil)
/ Chat
Philippe Lasry
França | 17’

CHILDREN’S PLAYGROUND (Estreia na América do Sul)
Pablo Molina Guerrero
Chile | 10’

DORSAL (Estreia na América do Sul)
/ Atlantic
Carlos Segundo
Brasil | 25’

ESCAPE FROM MY EYES (Estreia na América do Sul)
Felipe Bragança
Brasil/Alemanha | 34’

SHELTERS (Estreia na América do Sul)
/ Zakloni
Ivan Salatic
Montenegro | 24’

THE EVENTS AT MR. YAMAMOTO’S ALPINE RESIDENCE (Estreia na América do Sul)
Tilman Singer
Alemanha | 10’

TORÉ (Estreia Mundial)
Joao Vieira Torres
Brasil | 16’

Novos Olhares

BATTLES (Estreia na América do Sul)
Isabelle Tollenaere
Bélgica/Holanda | 90’

BURN THE SEA (Estreia na América do Sul)
/ Brûle la mer
Nambot Nathalie, Maki Berchache
França/Tunísia | 75′

FOG (Estreia na América do Sul)
/ Nebel
Nicole Vögele
Alemanha/Suíça | 60′

MING OF HARLEM: TWENTY ONE STOREYS IN THE AIR (Estreia no Brasil)
Phillip Warnell
Reino Unido/EUA/Bélgica | 71′

NOVA DUBAI
/ New Dubai
Gustavo Vinagre
Brasil | 50′

YXIMALLOO (Estreia na América do Sul)
Tadhg OSullivan, Feargal Ward
Irlanda | 75′

Exibições Especiais

A VIDA É ESTRANHA (Estreia Mundial)
/ The life is strange
Mossa Bildner
Brasil | 39’

BALIKBAYAN #1 MEMORIES OF OVERDEVELOPMENT REDUX III (Estreia na América do Sul)
Kidlat Tahimik
Filipinas | 140’

JAUJA
Lisando Alonso
Argentina | Denmark | France | Mexico | USA | Germany | Brazil | Netherlands | 109’

JOÃO BÉNARD DA COSTA — OUTROS AMARÃO AS COISAS QUE EU AMEI (Estreia no Brasil)
/ Others will love the things i have loved — João Bénard da Costa
Manuel Mozos
Portugal | 76′

KOMMUNISTEN (Estreia na América do Sul)
Jean-Marie Straub
França/Suiça | 70’

LA GUERRE D’ALGÉRIE! (Estreia na América do Sul)
Jean-Marie Straub
França/Suiça | 3’

STORM CHILDREN, BOOK 1 (Estreia na América do Sul)
/ Mga anak ng unos, Unang aklat
Lav Diaz
Filipinas | 143′

Mirada Paranaense

GASTRONOMIA URBANA (Estreia Mundial)
/ Urban gastronomy
Ricardo Machado
Brasil | 102′

CHINÊS É TUDO IGUAL (Estreia Mundial)
/ Chinese people it´s all the same
Denise Soares | 24’

DESSAS COISAS QUE ACONTECEM (Estreia Mundial)
/ It happens
Luiz Bertazzo | 20′

EV’RY TIME WE SAY GOODBYE (Estreia Mundial)
Renato Ogata | 16′

GELADEIRA (Estreia Mundial)
/ Fridge
Fernando Moreira | 15′

I PROCLAIM DESTRUCTION
/ Je Proclame la Destruction
Arthur Tuoto | 03′

NÃO SE VIVE POR NADA (Estreia Mundial)
/ One doesn’t live for nothing
Rafael Bertelli | 09′

PAIXÃO NACIONAL (Estreia Mundial)
/ National passion
Jandir Santin | 15′

PALHAÇOS ANÔNIMOS (Estreia Mundial)
/ Clowns anonymous
Edu Camargo, Gabriel do Valle | 15′

TODO TEMPO (Estreia Mundial)
/ All the time
Danilo Daher | 16′

Olhar Retrospectivo: Jacques Tati
LONGAS METRAGENS

Carrossel da Esperança / Jour de Fête (1949)
Um filme de Jacques Tati
Primeiro longa dirigido por Tati, onde ele vive François, um carteiro carismático que conversa regularmente com os vizinhos ao fazer suas entregas. Até que um dia, durante as comemorações do Dia da Bastilha, a cidade assiste a um filme que mostra a modernidade e a velocidade do serviço postal dos EUA. François e sua velha bicicleta não querem ficar atrás dos americanos…

As Férias do Sr. Hulot / Mr. Hulot Holiday (1953)
Um filme de Jacques Tati
Em um resort à beira-mar na costa do Atlântico, os moradores da cidade em férias continuam com suas manias locais. O atento Sr. Hulot (Tati) observa a tudo e a todos silenciosamente, numa das comédias mais aclamadas e premiadas de todos os tempos.

Meu Tio / Mon Oncle (1958)
Um filme de Jacques Tati
Tati retoma o personagem Hulot para construir sua impagável sátira à impessoalidade da tecnologia. Monsieur e Madame Arpel vivem em uma casa ultramoderna e organizada, sem espaço para a espontaneidade e para a brincadeira. Caberá a Mr. Hulot desconstruir o tédio.

Playtime – Tempo de Diversão / Playtime (1967)
Um filme de Jacques Tati
Monsieur Hulot está perdido dentro de uma Paris altamente tecnológica, espantado com um grupo de bizarras turistas americanas, e confuso num restaurante inaugurado antes mesmo do final de sua construção. É o caos urbano visto sob as lentes sempre ácidas de Jacques Tati.

As Aventuras de M. Hulot no Tráfego Louco / Trafic (1971)
Um filme de Jacques Tati
Monsieur Hulot, o designer de uma van experimental, dirige pelas autoestradas da França e da Bélgica a caminho do Salão do Automóvel de Amsterdã, onde o seu protótipo será exibido.

Parada / Parade (1974)
Um filme de Jacques Tati
O último filme de Tati ressoa como um tributo alegre ao espetáculo ao vivo, invocando as suas próprias origens na sala de música.

CURTAS METRAGENS

On Demand Un Brute (1934)
Um filme de Charles Barrois
Escrito por Jacques Tati
Um homem que sonha ser ator está à procura de um emprego a qualquer custo e aceita sem pensar a primeira oferta que recebe. Resultado: ele terá de enfrentar o terrível lutador Grossof de Tartar.

Gai Dimanche (1935)
Um filme de Jacques Berr
Escrito por Jacques Tati e Clown Rhum
Dois amigos sem dinheiro têm a ideia de comprar um micro-ônibus, a fim de enganar os turistas que querem visitar a área local. Mas este é apenas o início da aventura.

Soigne ton gauche (1936)
Um filme de René Clément
Escrito por Jacques Tati
Roger, agricultor, sonha se tornar um boxeador e, de fato, o treinamento ocorre apenas no quintal de sua fazenda. Mas as lutas tiveram que parar. Enquanto ele estava fingindo uma vitória, ele é descoberto e o levam para um ringue. Mas algo ainda falta: ele não tinha experiência de boxe e não sabe nada sobre esta nobre arte. Será que o livro que o carteiro deixou na cadeira irá ajudá-lo a adquirir com pressa as técnicas necessárias para o seu triunfo?

L’école des facteurs (1946)
Um filme de Jacques Tati
Um carteiro tem a missão de reduzir o tempo das entregas postais. Não seria difícil… não fosse o carteiro Jacques Tati.

Cours du Soir (1967)
Um filme de Nicolas Ribowsky
Filmado enquanto era rodado Playtime, este curta-metragem usa os mesmos cenários e elenco do longa. Filme escrito e interpretado por Tati, dirigido por Nicolas Ribowsky. Tati tenta ensinar mímica a uma classe de alunos esforçados, mas não muito talentosos.

Forza Bastia (1978)
Um filme de Jacques Tati e Sophie Tatischeff
Obra póstuma do diretor Jacques Tati, o filme foi finalizado por sua filha, que editou o material esquecido que havia sido descoberto no acervo pessoal do diretor. Trata-se de um documentário mostrando uma final da Copa da UEFA entre PSV Eindhoven e o time francês SC Bastia.

Au Delà de PlayTime (2002)
Um filme de Stéphane Goudet
Curta-metragem do convidado do Olhar 2015 Stéphane Goudet. Professor da faculdade de cinema Paris I, Goudet irá ministrar uma masterclass durante o festival dedicada ao cinema de Jacques Tati.

Olhares Clássicos

Sindicato de Ladrões, de Elia Kazan, EUA, 1954. Com Marlon Brandon, Karl Malden, 108 min.

Johnny Guitar, de Nicholas Ray, EUA, 1954. Com Joan Crawford, 110 min..

Stromboli, de Roberto Rosselini, Itália/EUA, 1950. Com Ingrid Bergman, 81 min.

Orfeu, de Jean Cocteau, França, 1950.  Jean Marais, François Perier, 95 min.

Bang Bang, de Andrea Tonacci, Brasil, 1971. Com Paulo César Pereio, 93 min.

Meu Amigo Totoro, 1988, de Hayao Miyazaki, Japão, 86 min.

Foco – Nathan Silver
Produtor, roteirista, escritor e diretor, Nathan Silver graduou-se na Tisch School of the Arts, na NYU, em 2005. Desde então, escreveu e dirigiu cinco longas, que foram exibidos em festivais, teatros, e instituições ao redor do mundo.

ANECDOTE (Estreia Internacional) – EUA | 37′

EXIT ELENA (Estreia no Brasil) – EUA | 72′

SOFT IN THE HEAD (Estreia no Brasil) – EUA | 71′

STINKING HEAVEN (Estreia no Brasil) – EUA | 70′

THE BLIND (Estreia na América do Sul) – EUA | 72′

UNCERTAIN TERMS – EUA | 73′

Anúncios
%d bloggers like this: