Rio Festival Gay de Cinema 2015 anuncia longas e curtas premiados

A Paixão de JL Rio Gay

Contando com obras de mais de 30 países, além de convidados internacionais, o Rio Festival Gay de Cinema 2015 – – Todos os Gêneros e Sexualidades anunciou os curtas e longas-metragens vencedores. O documentário “A Paixão de JL” (foto), de Carlos Nader, que também venceu o É Tudo Verdade 2015, foi o grande premiado.

A trama acompanha o artista José Leonilson que, em janeiro de 1990, aos 33 anos, começa a gravar, em fitas cassete, um diário íntimo. Comentários sobre os acontecimentos que sacudiam o país, em plena era Collor, e o exterior, como a queda do Muro de Berlim, percorrem suas confissões, bem como impressões sobre os diversos filmes a que assistia. Esses registros de um artista sensível e antenado à contemporaneidade, que a princípio não visavam mais do que testemunhar a sintonia entre sua vida e uma obra muito peculiar e intimista sofrem, no entanto, o impacto da descoberta de que Leonilson é portador do HIV. A incerteza e a urgência passam a impregnar os seus relatos.

Veja a lista completa abaixo:

Melhor Longa-metragem Nacional: A Paixão de JL, de Carlos Nader
Menção Honrosa do Júri – Longa Nacional: Nova Dubai, de Gustavo Vinagre
Prêmio Especial Escolha do Festival – Longa Nacional: Gazelle – The Love Issue, de César Terranova
Melhor Longa-metragem Internacional: Frangipani, de Visakesa Chandrasekaram (Sri Lanka)
Menção Honrosa do Júri – Direção: Antony Hickling (Little Gay Boy e One Deep Breath)
Prêmio Especial Escolha do Festival – Longa Internacional: Dyke Hard, de Bitte Andersson (Suécia)

Melhor Curta-metragem Nacional: Trevas, de Will Domingos
Menção Honrosa do Júri – Curta Nacional: Virgindade, de Chico Lacerda
Melhor Curta-metragem Internacional: Stockholm Daybreak, de Elin Övergaard (Suécia)
Menções Honrosas do Júri – Curta Internacional: An Afternoon, de Søren Green (Dinamarca) e Novena, de Anna Rodgers (Irlanda)
Prêmio Especial Escolha do Festival – Curta Internacional: San Cristóbal, de Omar Zúñiga Hidalgo (Chile)

Melhor Transcinema 2015: Limanakia, de Antonio da Silva (Portugal)

Melhor Animação do DIV.A: Happy and Gay de Lorelei Pepi (EUA)
Menções Honrosas do Júri do DIV.A: Rudy`s Blue Boogie, de Janek Kosa (Polônia) e Bendik and the Monster, de Frank Mosvold (Noruega)

%d bloggers like this: